O JEJUM

Pr. Pedro S Neto

I – INTRODUÇÃO

        O jejum é uma abstinência de alguma coisa, como alimentos, como forma de subjugar a carne para consagração, busca de favor, ou mesmo busca de dons espirituais e poder no Espírito de Deus.

        O motivo do jejum é muito importante e devemos fazê-lo com um bom propósito diante do Senhor. Não deve ser uma troca, mas um clamor ao Senhor.

II – O JEJUM QUE NÃO AGRADA A DEUS

        Existem alguns tipos de jejuns que desagradam a Deus. Assim sendo, devemos buscar aquele jejum que é uma bênção na presença do Senhor.

Isaias 58:5: “Seria esse o jejum que eu escolhi? o dia em que o homem aflija a sua alma? Consiste porventura, em inclinar o homem a cabeça como junco e em estender debaixo de si saco e cinza? chamarias tu a isso jejum e dia aceitável ao Senhor?”

        Isaias 58:6: “Acaso não é este o jejum que escolhi? que soltes as ligaduras da impiedade, que desfaças as ataduras do jugo? e que deixes ir livres os oprimidos, e despedaces todo jugo?”

        Na verdade, se o homem está cheio de impiedade, iniquidade, como fará um jejum aceitável na presença do Senhor?

        Portanto, o homem precisa estar bem com seus semelhantes e com Deus para jejuar. Nada de inimizades, fofocas, disse-me-disse, etc. Estas coisas impedem um bom jejum diante do Senhor.  Por isso, muitos fazem jejuns e nada acontece, pois estão cheios de coisas que precisam abandonar.

III – O JEJUM QUE AGRADA A DEUS

        O Senhor agrada quando o homem jejua com um coração limpo na Sua presença. Sem contenda com os outros, nem dificuldade de relacionamentos. A libertação é essencial na vida do cristão.

        Joel 1:14: “Santificai um jejum, convocai uma assembléia solene, congregai os anciãos, e todos os moradores da terra, na casa do Senhor vosso Deus, e clamai ao Senhor”

         Salmo 35:13: Mas, quanto a mim, estando eles enfermos, vestia-me de cilício, humilhava-me com o jejum, e orava de cabeça sobre o peito.

        Quando estamos com uma dificuldade ou enfermidade, um problema difícil de resolver, podemos buscar ao Senhor com jejuns e orações. O Senhor sabe atender a súplica do justo.

        Quando Ana sentiu de perto a dor de não poder dar à luz, buscou o Senhor com pranto e jejum e o Senhor ouviu-lhe o clamor.  I Samuel 1: 10-18. Sim, existem momentos de grande angústia nos quais sentimos grande necessidade de levantar um clamor profundo na presença do Senhor, derramar todo nosso ser, como Ana. É importante saber que o Senhor tem prazer em atender ao angustiado, àquele que confia no Seu Poder.

IV -  CONCLUSÃO

        O jejum agradável ao Senhor é aquele feito com um coração quebrantado diante dele, sem mágoas ou ressentimentos. Quando buscamos em primeiro lugar o reino de Deus, as outras coisas nos são acrescentadas. Portanto, buscando o Senhor com orações, súplicas e jejuns, certamente encontraremos graça diante dEle.

Pr. Pedro Soares Neto

 

Pedro@net.em.com.br

 

       

 

O JEJUM

 

pastorpedro@terra.com.br

 

 

 

I – INTRODUÇÃO

 

        O jejum é uma abstinência de alguma coisa, como alimentos, como forma de subjugar a carne para consagração, busca de favor, ou mesmo busca de dons espirituais e poder no Espírito de Deus.

        O motivo do jejum é muito importante e devemos fazê-lo com um bom propósito diante do Senhor. Não deve ser uma troca, mas um clamor ao Senhor.

 

II – O JEJUM QUE NÃO AGRADA A DEUS

 

        Existem alguns tipos de jejuns que desagradam a Deus. Assim sendo, devemos buscar aquele jejum que é uma bênção na presença do Senhor.

Isaias 58:5: “Seria esse o jejum que eu escolhi? o dia em que o homem aflija a sua alma? Consiste porventura, em inclinar o homem a cabeça como junco e em estender debaixo de si saco e cinza? chamarias tu a isso jejum e dia aceitável ao Senhor?”

        Isaias 58:6: “Acaso não é este o jejum que escolhi? que soltes as ligaduras da impiedade, que desfaças as ataduras do jugo? e que deixes ir livres os oprimidos, e despedaces todo jugo?”

 

        Na verdade, se o homem está cheio de impiedade, iniquidade, como fará um jejum aceitável na presença do Senhor?

        Portanto, o homem precisa estar bem com seus semelhantes e com Deus para jejuar. Nada de inimizades, fofocas, disse-me-disse, etc. Estas coisas impedem um bom jejum diante do Senhor.  Por isso, muitos fazem jejuns e nada acontece, pois estão cheios de coisas que precisam abandonar.

 

III – O JEJUM QUE AGRADA A DEUS

 

        O Senhor agrada quando o homem jejua com um coração limpo na Sua presença. Sem contenda com os outros, nem dificuldade de relacionamentos. A libertação é essencial na vida do cristão.

        Joel 1:14: “Santificai um jejum, convocai uma assembléia solene, congregai os anciãos, e todos os moradores da terra, na casa do Senhor vosso Deus, e clamai ao Senhor”

 

         Salmo 35:13: Mas, quanto a mim, estando eles enfermos, vestia-me de cilício, humilhava-me com o jejum, e orava de cabeça sobre o peito.

 

        Quando estamos com uma dificuldade ou enfermidade, um problema difícil de resolver, podemos buscar ao Senhor com jejuns e orações. O Senhor sabe atender a súplica do justo.

        Quando Ana sentiu de perto a dor de não poder dar à luz, buscou o Senhor com pranto e jejum e o Senhor ouviu-lhe o clamor.  I Samuel 1: 10-18. Sim, existem momentos de grande angústia nos quais sentimos grande necessidade de levantar um clamor profundo na presença do Senhor, derramar todo nosso ser, como Ana. É importante saber que o Senhor tem prazer em atender ao angustiado, àquele que confia no Seu Poder.

 

IV -  CONCLUSÃO

 

        O jejum agradável ao Senhor é aquele feito com um coração quebrantado diante dele, sem mágoas ou ressentimentos. Quando buscamos em primeiro lugar o reino de Deus, as outras coisas nos são acrescentadas. Portanto, buscando o Senhor com orações, súplicas e jejuns, certamente encontraremos graça diante dEle.

Pr. Pedro Soares Neto

 

Pedro@net.em.com.br